Gente Buscando Gente

Procuro a minha família


Monega Olmedo de 80 años busca a su hija TRÂNCITA SEGOBIAS. Los dos son de origen paraguayo.

Trâncita Segobias vivía con su madre en la ciudad de Guaira en Paraná. Ela trabajado en Foz do Iguaçu (PR) Trâncita de Foz do Iguaçu (PR) con su marido Paul Verdun y se fue a La Plata, capital de la provincia de Buenos Aires en Argentina .

In de diciembre de 1975 visitó a su madre en la Guaira (PR) junto con sus dos hijas (María Laura y Sandra Claudia). Desde entonces, no hizo más contacto con la familia en Brasil.

*

Monega Olmedo de 80 anos procura pela sua filha TRÂNCITA SEGOBIAS. As duas são de descendência paraguaia.

Trâncita Segobias morava com a mãe na cidade de Guaíra no Paraná. Ela trabalhava em Foz do Iguaçú (PR) com seu marido Paulo Verdum, de lá ela foi com ele para La Plata, capital da província de Buenos Aires na Argentina.

Em dezembro de 1975 ela visitou sua mãe em Guaíra (PR) juntamente com suas duas filhas (Maria Laura e Sandra Cláudia). Desde então não fez mais contato com a família no Brasil.

Apoio


Lauro José Martins é um aposentado da Marinha do Brasil que com sua câmera gosta de registrar tudo que acontece na Grande Vitória.

Ele conheceu nosso trabalho quando fizemos um reencontro na família dele.

Foi lá na cidade de Vila Velha (ES), em junho de 2011.


Ontem, domingo 25 de janeiro ele gravou uma mensagem de carinho e apoio ao nosso diretor Carlos Rodrigues.

Assistam!

video

Procuro a minha família


Walter Lopes Calvo procura pelo pai biológico ZOILO CALVO que é espanhol.


Ele tinha apenas seis anos na última vez que esteve com o pai. 

Zoilo Calvo é filho de Alfonsa Zolbidéia, e hoje ele está com cerca de 60 anos.

Desaparecido






Lerdeli Castro procura pelo filho WILLIANS BORGES DA COSTA (foto) que desapareceu na cidade de São Paulo (SP) em março de 2000.

Procuro a minha família


Nazaré de Fátima Reis procura pelo tio VITAL CRISTÓVÃO RIBEIRO VIANA.

Em 1978 ele saiu de Belém no Pará e foi trabalhar no garimpo na cidade de Itaituba no mesmo Estado e nunca mais entrou em contato com a família. 

Hoje ele está com 59 anos.

Procuro a minha família


Esta senhora da foto se chama Laudelina Alves Pinheiro. Ela tem 103 anos.

Há mais de 50 anos ela procura pela filha FRANCISCA PINHEIRO DE SOUZA, de apelido Sinhá, nascida na cidade de Araçuaí (MG), que hoje está com 77 anos.


Centro de acolhimento tenta localizar família de adolescente em São Paulo


Psicólogos dizem acreditar que o jovem Edilson Vieira tenha 16 anos.

Rapaz foi encontrado machucado em novembro na Zona Norte da capital.


Um centro de acolhimento para crianças e adolescentes da capital paulista tenta localizar a família de um adolescente que foi encontrado em uma rua da Zona Norte, em novembro do ano passado. A Justiça autorizou a divulgação da imagem do adolescente na tentativa de que algum parente do rapaz se apresente.

O adolescente é tímido e fala poucas palavras. Ele foi encontrado bastante machucado  no bairro Lauzane Paulista. Depois foi levado para o serviço de acolhimento para crianças e adolescentes, na Zona Norte.

O menino disse que se chama Edilson Vieira, que tem mãe, padrasto e três irmãos. Os psicólogos dizem acreditar que ele tenha 16 anos.


Segundo Rosemari Dionísio, gerente do abrigo, a busca começou no entorno da rua onde ele foi encontrado. “Depois fizemos um boletim de ocorrência de aparecimento de pessoas. E realmente nada, ninguém reconheceu o Edilson", disse.

Quem tiver informações sobre a família do rapaz pode entrar em contato com o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) Santana pelo telefone (11) 2950-3398.

*Do G1.

Procuro a minha família





Maria Rocha Santos procura pela irmã RITA ROCHA DE AVELAR que na época em que perderam o contato, era casada com Oswaldo Justino Neto, com quem ela teria ido para o Paraná.

Procuro a minha família



Maria Helena Oliveira procura pela irmã SEVERINA MARIA DE OLIVEIRA NUNES que hoje tem cerca de 60 anos.

Ela conta que o esposo da sua irmã se chama Cosme Nunes (Guido) e que ela tem duas filhas, Flávia e Flaviana. 

As duas perderam o contato há mais de 30 anos.

Tema de série de reportagem


A TV Leste produziu uma série de reportagem no final de 2014 mostrando pessoas e entidades que praticam o bem o ano inteiro.

Uma das entidades escolhidas foi a nossa.

Assista agora!

video

Facebook começa a exibir nos EUA alertas de crianças desaparecidas


Rede social fez parceria com centro nacional para mostrar avisos.
Alerta será enviado a usuário quando estiver na área onde criança sumir.

O Facebook anunciou nesta terça-feira (13) que começará a exibir alertas de crianças desaparecidas nos Estados Unidos.


A iniciativa faz parte de uma parceria da rede social com o Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas. A tecnologia do site vai permitir que os avisos sejam enviados a pessoas que morem ou estejam em uma região onde crianças tenham desaparecido.

Os anúncios são exibidos tanto em computadores quanto em smartphones. Incluem fotografias, características dos desaparecidos, detalhes do local onde foram vistos por último e informações, quando houver, dos possíveis captores. Um telefone para contato também acompanhará o alerta.

“Por anos, as pessoas usaram o Facebook para postar artigos sobre crianças desaparecidas”, afirmou, em nota, Emily Vacher, gerente de segurança da rede social, acrescentando que “em muitos casos, alguém viu um post ou foto em sua ‘feed de notícias’, tomou uma atitude e uma criança foi resgatada em segurança”.

Segundo Vacher, uma garota de 11 anos foi resgatada sã e salva em 2014 depios de a dona de um motel reconhecê-la de um alerta, compartilhado por um amigo no Facebook. A mulher telefonou para a polícia, que fez o resgate. “‘Boca-a-boca’ como esse são impressionantes nos inspiram a criar formas mais sistemáticas de ajudar a encontrar crianças perdidas pelo Facebook.”

Os avisos serão apenas exibidos aos usuários do Facebook, mas não gerarão qualquer tipo de notificação.


*Do G1.

Procuro a minha família


Rodrigo Vitória procura pelo pai RODRIGO VITÓRIA MACHADO que não vê há 15 anos.

Ele conta que tinha apenas sete anos quando o viu pela última vez na Vila Matilde em São Paulo (SP). 

Seu pai é este que aparece na foto com ele no colo.


Desaparecido



Continua desaparecido RICARDO RODRIGUES DA SILVA que hoje está com 39 anos. Ele é travesti, sendo conhecida como SUELLEN.

A última vez que fez contato com seus familiares foi em março de 2012, quando foi para o Parque do Carmo em Itaquera (SP).

Procuro a minha família



Helena Pereira de Melo procura pelo irmão REGINALDO PEREIRA DE MELO que hoje está com 54 anos.

O último contato dele com os familiares foi em 1985 através de uma carta. O endereço que constava no remetente era do Rio de Janeiro (Rua do arroz, 85 – Mercado São Sebastião – Penha). 

Desde então a família não sabe do seu paradeiro.

Desaparecido


Gisleidy Costa procura pelo tio OTON ALVES DA COSTA que em abril de 1976 viajou de Nova Era (MG) com destino a Periquito (MG) onde alguns familiares moravam, porém não chegou e sua família nunca soube o que aconteceu com ele, que hoje tem cerca de 60 anos.


Desaparecido


OSVALDO SILVA desapareceu ao ir a uma padaria no bairro em março de 2013 na cidade de Arujá (SP).

Segundo a família, ele que está com 72 anos, tem problema de esquecimento.


Procuro a minha família


Neusa de Oliveira perdeu o contato com a irmã há mais de 20 anos.

Sua irmã se chamava Norma Melo de Oliveira, mas ao se casar passou a se chamar NORMA MELO MIYAZAWA SAN. Ela tem hoje cerca de 50 anos.

Neusa conta que esta irmã morava no Flamengo, Rio de Janeiro (RJ) e casou com um japonês chamado Miyazawa San, e logo em seguida foi com ele para outro lugar e assim elas perderam o contato.

NORMA MELO MIYAZAWA SAN é esta de branco que aparece nesta foto tirada no dia do seu casamento ao lado do seu marido e alguns convidados.


Procuro a minha família



Ana Maria Martins procura pelo tio NACIF ANTÔNIO. Ele hoje tem cerca de 90 anos e pode estar morando na Ilha dos Araújos em Governador Valadares (MG).

Ele é irmão do seu pai Jorge Antônio que faleceu em há mais de 30 anos sem saber o paradeiro dele. 

Nesta foto ele aparece do lado da esposa Adélia juntamente com alguns netos.

Procuro a minha família


Aguinaldo Vicente procura pela irmã MARIA VICENTE DE SOUZA que hoje está com 59 anos.

Em 1986, com 31 anos, ela saiu da cidade de Duque de Caxias (RJ) e foi para outra localidade juntamente com o namorado (Luiz) que aparece com ela nesta foto.


Desaparecida



ELVIRA ANTUNES DE ARAÚJO, de 81 anos, está desaparecida desde o dia 01 deste mês na cidade de Eldorado, no extremo sul de Mato Grosso do Sul.

Segundo o filho, neste dia ela teria saído de sua casa, no Jardim das Grevilhas, por volta das 16h para ir ao mercado comprar pão e desde então não foi mais vista.

Quem tiver conhecimento do paradeiro da idosa poderá entrar em contato com a Polícia Civil de Eldorado pelo fone (67) 3473 1264.

Procuro a minha família


Maria Aparecida de Souza procura pela irmã MARIA JULIA SOUZA DA CRUZ que até em 1980 morava no distrito de São José do Itavó, que pertence à cidade de Itaipulândia no Oeste do Paraná.

Com a construção da Usina Hidrelétrica de Itaipu, no final da década de 1970 ela teve que se mudar de onde morava devido aos alagamentos da represa.

A mudança fez com que ela perdesse o contato com esta irmã.


Gravação de reportagem


Aconteceu na manha desta segunda-feira, 1 de janeiro de 2015.

Recebemos uma equipe de jornalismo da TV Leste que veio trazer até a entidade a família que viajou do Rio de Janeiro (RJ) até Governador Valadares (MG) na tentativa de localizar parentes da mãe e avó, ambas já falecidas.


Na cidade elas conheceram uma pessoa que indicou a emissora que tem histórico de apoiar buscas por familiares, que por sua vez nos pediu para acompanhar o caso.




 


Polícia alerta para o desaparecimento de idosos; 10 casos só este mês em MS


O número de desaparecimento de idosos preocupa a Polícia Civil. Somente neste mês, dez pessoas com idade igual ou superior a 60 anos sumiram em Mato Grosso do Sul, sendo três ocorrências em Campo Grande. Entre os procurados está um homem de 85 anos morador na Vila Santa Luzia, na Capital, visto pela última vez na tarde do dia de Natal.

Segundo a investigadora Maria Campos, especialista em busca de desaparecidos, os familiares precisam estar atentos quanto aos cuidados com os mais velhos, principalmente com aqueles que sofrem com doenças que afetam a memória como Alzheimer, Parkinson e depressão, por exemplo. “Os idosos são pessoas frágeis e precisam de atenção, especialmente os que possuem algum problema de memória”, afirma.

Ela explica que geralmente as vítimas saem de casa sozinhas para realizar atividades cotidianas como ir ao mercado ou visitar algum parente, e não retornam mais. “Muitos esquecem horário, onde moram e o nome dos familiares, e acabam se perdendo. Isso dificulta o resgate, pois eles não conseguem fornecer as informações necessárias para serem conduzidos de volta para a casa”, destaca.

Vulneráveis, eles correm risco de vida quando desaparecem, pois ficam à mercê dos cuidados de terceiros ou, no caso dos doentes, não conseguem fazer o uso correto de medicamentos. A família pode ser responsabilizada pelo desaparecimento, e responder judicialmente por abandono de incapaz. Deixá-los trancados em casa não é aconselhável, pois configura cárcere privado.

“A família tem que vigiar suas pessoas idosas, sempre as acompanhando em tudo que fazem”, disse a investigadora, lembrando que, apesar das circunstâncias, todas as vítimas foram encontradas em segurança. “Ainda existe gente de bem que vê os idosos perdidos e os acolhem”, completa.

Desaparecido – Segundo Maria, o idoso de 85 anos identificado como Joaquim de Souza está desaparecido desde o Natal. Ele foi visto pela última vez na Rua São Clemente, na Vila Santa Luzia, por volta das 16h. Ele tem problemas de pressão arterial e precisa de remédios controlados. Quem tiver alguma informação sobre o paredeiro dele deve informa à polícia por meio do telefone 190, ou (67) 9989-0778.


Procuro a minha família


Iolanda da silva procura pela tia MARIA JOANA SOARES DA SILVA (foto) que hoje está com 50 anos.

No ano de 2000 ela saiu da cidade de Presidente Dutra no interior do Maranhão e foi para Itaituba no Pará trabalhar na colheita de cacau, e não fez mais contato.


Procuro a minha família


Manoel Batista Neto procura pela irmã MARIA CRISTINA DA SILVA que morava na cidade de Bom Sucesso (PB) até o ano de 1981.

O irmão acredita que ela tenha fugido para outra localidade porque era maltratada pelo marido.

Hoje ela esta com 61 anos.


Desaparecida


Alex Sandro Alves procura pela mãe MARIA ALZIRA ALVES que desapareceu em 1983 na cidade de Ferraz de Vasconcelos (SP).

Na época ela saiu para trabalhar e não voltou. Hoje ela está com 66 anos. 

Ele acredita que ela tenha decidido desaparecer porque era muito maltratada pelo padrasto dele.

Procuro a minha família


Neusa de Fátima Dias procura pelo irmão LUIS FERREIRA DIAS que em 1971, aos 16 anos, morava com a mãe perto do Rio Correntes, na divisa de Mato Grosso do Sul com Mato Grosso.

Neste ano sua mãe voltou para a cidade Cáceres (MT) mas ele não quis acompanhá-la e ficou morando lá.

Com o tempo os familiares perderam o contato com ele que hoje está com 59 anos.

LUIS apresenta uma mancha vermelha no braço. A irmã não sabe dizer se é no braço esquerdo ou no direito.

Desaparecida


LUCIA APARECIDA RICARDO tem 59 anos e desapareceu na cidade de Ribeirão Preto (SP) em março de 2013.

Ela apresenta problemas psiquiátricos (transtorno bipolar e esquizo-afetivo).

Além dos medicamentos para a saúde mental, ela também necessita de medicamentos clínicos para controle do colesterol, hipotireoidismo e diabetes.


Procuro a minha família


Lucia Aparecida Oliveira procura por um amigo que sempre foi uma pessoa muito especial na vida dela.

MARCELO SOARES COELHO foi policial militar na cidade de Itapecerica da Serra (SP) em 1986, depois foi trabalhar em um banco público.

Desde 1998 ela não tem mais notícias dele e gostaria muito de reencontrá-lo.



Procuro a minha família




Aline Fernanda procura pelo pai LOURENÇO JAIR ANDRIOTTI.

Ela perdeu totalmente o contato após ele se separar da sua mãe em 2002.

Hoje ele está com 52 anos e pode ter voltado para o Mato Grosso.

Gravação de reportagem


Aconteceu na tarde de ontem. A matéria é para a TV Leste, afiliada da Record.

O novo local de funcionamento da ONG esta em reforma, mas um cantinho provisório foi montado para não parar o atendimento.

Nele recebemos hoje o repórter Ronalt Lessa e o cinegrafista Adriano Félix.




Procuro a minha família


Maria José do Nascimento procura pela tia LAURITA MARIA DE BARROS que hoje tem cerca de 70 anos. Em 1971 esta tia foi para a cidade de São Paulo (SP) para trabalhar.

Ela chegou a escrever cartas para a sobrinha dizendo que estava bem, porém não deixou telefone para contato. Quando estas cartas eram respondidas, voltavam apontando endereço insuficiente.

Procuro a minha família


A criança que aparece nesta foto esta hoje com 28 anos.

Ela nasceu em dezembro de 1986 e recebeu o nome de PRISCILA REGINA. Mas foi entregue à adoção pela mãe na cidade de Salvador (BA).

Quem procura por ela é a irmã Larissa de Souza Prazeres. Ela conta que sempre pensou que era filha única, mas em 2010 descobriu ter esta irmã que é dois anos mais nova que ela e resolveu então começar a procurá-la.

Sua mãe Selma Lemos Prazeres que na época era de uma família grande e de classe média baixa, deu esta criança com um mês de vida para um casal.


Larissa nos contou que tudo ainda é um grande mistério na família, e que quase nada soube desta adoção, e que da irmã conseguiu poucas informações.



Procuro a minha família


Cássia Maria da Silva procura pelo irmão KASSY CARDOSO DA SILVA que hoje está com 49 anos.


Em 2002 saiu de Santana (BA) e não entrou mais em contato com a família.


Procuro a minha família





Marlene Rodrigues procura pelo irmão JOSÉ RODRIGUES DE FARIA que foi embora de Uberaba (MG) em dezembro de 1974 e não entrou mais em contato com os familiares que lá ficaram.


Hoje ele está com 70 anos.


Procuro a minha família


Jennypher Rampinelli procura pelo irmão JOSÉ RODRIGUES DE AGUIAR (foto) que foi para o Paraná aos 17 anos à procura de trabalho e não entrou mais em contato com os familiares.

Hoje ele esta com cerca de 70 anos.


Faleceu o advogado Dr. Farhat do Programa do Ratinho


Faleceu neste domingo (14) aos 69 anos o popular advogado e nacionalmente conhecido através dos casos de DNA no Programa do Ratinho.

Nosso diretor Carlos Rodrigues esteve com ele quando encontrou com o apresentador Ratinho e realizou um reencontro em seu programa.


Dr. Farhat era sempre muito atencioso. Na ocasião eles conversaram sobre como o desaparecimento de pessoas é juridicamente visto no Brasil.



Procuro a minha família


Emiliana Pereira Silva tenta ajudar a mãe na realização de um sonho: reencontrar o irmão JOSÉ LUIZ PEREIRA que hoje esta com 76 anos.


Ela conta que sua mãe cresceu juntamente com este irmão na cidade de Coromandel (MG), mas há cerca de 40 anos não sabe do seu paradeiro.


Pai reencontra filha depois de 15 anos por causa de multa de trânsito



O policial não encontrou nada no sistema da polícia, mas ficou intrigado com o nome diferente e resolveu buscar também na internet.

Você acredita no acaso? O Fantástico mostrou uma história surpreendente, que teve um final inesperado.

Início da história: um policial resolve parar um caminhão que tinha acabado de fazer uma ultrapassagem proibida na estrada.


Região de Campina Grande, Paraíba. O trecho da BR-230 é conhecido pelas ultrapassagens perigosas. “Estávamos atrás do caminhão dele quando ele fez a ultrapassagem nessa ladeira e mais à frente nós o abordamos”, lembra o policial rodoviário federal Gustavo Grisi.

Trabalhando na boleia do caminhão há 30 anos, Sidor Albrecht estava com pressa naquela quinta-feira, 04 de dezembro. O frete entre Marabá e Campina Grande estava quase terminando. Foram três dias de viagem, quase 1,8 mil quilômetros. E ele fez uma ultrapassagem proibida na faixa dupla. “Falei para o guarda: ‘Estou errado, pode multar, não tem problema não’”, afirma.

A multa foi aplicada na hora: R$ 957. E quando a notificação acontece assim, na estrada, os policiais precisam se comunicar por rádio com a base para fazer uma checagem dos documentos - tanto do motorista, quanto do veículo. Foi aí que as surpresas começaram.


O policial não encontrou nada no sistema da polícia, mas ficou intrigado com o nome diferente e resolveu buscar também na internet. “Quando eu fiz a procura, surgiram alguns resultados. Mas somente um chamou a minha atenção, que foi aquela mensagem que dizia: ‘Estou à procura do meu pai’”, conta o policial rodoviário Daniel Pereira.

Era uma mensagem publicada dois anos antes em um fórum de pessoas desaparecidas. “Quando eu vi a mensagem dela, também lembrei da minha história. Nos últimos 20 anos eu também estive à procura do meu pai, então eu sei o que aquela moça estava passando. Eu encontrei o meu pai esse ano”, diz Daniel.

A autora da mensagem é de Fortaleza. Vitória Albrecht, uma jovem de 17 anos, que foi mãe aos 15. Estava grávida quando escreveu e sentia falta do pai que não conhecia. “Já tinha até me esquecido que eu tinha botado. Pensava que era mentira quando ligaram”, conta.

A mensagem sensibilizou o policial. “O que a Vitória fez foi como escrever um bilhete, colocar em uma garrafa e lançar no mar. E a gente teve a sorte de encontrar essa garrafa”, conta Daniel.

Seu Sidor, que já tinha assinado a multa e sido liberado, foi chamado de volta.

Pelo rádio, ouviu a mensagem lida pela policial da base Soraya: “Gente, eu sou a Vitória, tenho 15 anos. Moro em Fortaleza, procuro o meu pai Sidor Albrecht. Ele é caminhoneiro, há anos eu venho tentando encontrá-lo”, dizia a voz no rádio.

Era a notícia da filha que ele não viu crescer porque ficou 15 anos sem contato.

No fim da década de 90, Sidor terminou o primeiro casamento, no estado do Mato Grosso. Nas viagens pelo Brasil, o caminhoneiro se envolveu com a mãe biológica de Vitória em Fortaleza. Ela nasceu, mas a relação não foi para frente. Sidor se casou de novo no Mato Grosso.

A mãe de Vitória deixou a bebê no Ceará com sua irmã, Socorro, e foi trabalhar em Santa Catarina. Maria Socorro Alexandre assumiu a criação de Vitória. “A mãe da Vitória de verdade sou eu. Eu criei ela”, se emociona.

Nessa 'troca de mães', o pai - que estava longe - foi perdendo contato com a filha. “Eu parei de viajar para o Nordeste. A última vez que eu vi ela foi quando ela tinha dois anos. Depois eu mudei de emprego, a empresa não viajava para cá e daí eu fui perdendo o contato”, lembra Sidor.

Dona Socorro e a família mudaram de casa, a comunicação ficou ainda mais difícil. “Ele ligava em um telefone comunitário aqui na outra rua e não chegava aqui o recado”, ressalta Socorro.

Mas na mensagem da internet, Vitória colocou seus números de telefone.

Depois de 15 anos, Sidor finalmente conseguiu ligar para a filha.

Sidor: A primeira instância que eu liguei, eu nem consegui falar.

Vitória: A pessoa não falou, ficou só escutando. Eu falei: ‘Vá para a casa do’ lá, eu peguei e desliguei.

Sidor: Eu liguei de novo, e ela: ‘Quem está falando?’. Eu disse: ‘Quem é a pessoa que você quer conhecer muito?’.

Vitória: Veio na mente: meu pai!

Sidor: Ela chorou muito, e eu também chorei junto com ela.
Vitória: Acho que ele já me ligou umas 300 vezes nesses dias. Ele não para. É de hora em hora.

Mas até aqui, o reencontro só tinha sido por telefone. Depois da primeira ligação, Sidor descarregou o caminhão em Campina Grande e foi para João Pessoa conseguir um novo frete: dessa vez para Fortaleza. “Para conhecer a minha filha”, conta Sidor. “Hoje eu estou muito feliz porque vou rever minha filha, eu sentia muita falta dela”, comemora.

Apenas um dia de estrada e ele chegou à cidade da filha, Vitória. Sidor fez uma caminhada bem rápida até a casa da filha, em um bairro da periferia de Fortaleza. A ansiedade foi muito grande. “Não vejo a hora de poder encontrar ela e dar um abraço”, conta.

Momentos antes do reencontro, Sidor não consegue segurar a emoção. Logo o avô conhece o netinho. “Agora o vô tem um netinho também”, brinca.

Sidor é grato a Dona Socorro, a mãe que não é biológica, mas criou Vitória com todo amor. “Você cuidou bem da minha filha”, diz Sidor.

“Daqui para frente quero que ele me dê bastante amor, que ele nunca mais separe de mim. Passou muito tempo longe. Só isso”, diz Vitória.



Desaparecido





JOSÉ ELIANO BARBOSA desapareceu no Jardim Fernandes em São Paulo (SP) em junho de 2013.

Seus familiares contam que ele teria saído para dar uma volta pelo bairro como era de costume e não retornou mais para casa.


Hoje ele está com 70 anos.