Gente Buscando Gente

Procuro a minha família


A criança que aparece nesta foto esta hoje com 28 anos.

Ela nasceu em dezembro de 1986 e recebeu o nome de PRISCILA REGINA. Mas foi entregue à adoção pela mãe na cidade de Salvador (BA).

Quem procura por ela é a irmã Larissa de Souza Prazeres. Ela conta que sempre pensou que era filha única, mas em 2010 descobriu ter esta irmã que é dois anos mais nova que ela e resolveu então começar a procurá-la.

Sua mãe Selma Lemos Prazeres que na época era de uma família grande e de classe média baixa, deu esta criança com um mês de vida para um casal.


Larissa nos contou que tudo ainda é um grande mistério na família, e que quase nada soube desta adoção, e que da irmã conseguiu poucas informações.



Procuro a minha família


Cássia Maria da Silva procura pelo irmão KASSY CARDOSO DA SILVA que hoje está com 49 anos.


Em 2002 saiu de Santana (BA) e não entrou mais em contato com a família.


Procuro a minha família





Marlene Rodrigues procura pelo irmão JOSÉ RODRIGUES DE FARIA que foi embora de Uberaba (MG) em dezembro de 1974 e não entrou mais em contato com os familiares que lá ficaram.


Hoje ele está com 70 anos.


Procuro a minha família


Jennypher Rampinelli procura pelo irmão JOSÉ RODRIGUES DE AGUIAR (foto) que foi para o Paraná aos 17 anos à procura de trabalho e não entrou mais em contato com os familiares.

Hoje ele esta com cerca de 70 anos.


Faleceu o advogado Dr. Farhat do Programa do Ratinho


Faleceu neste domingo (14) aos 69 anos o popular advogado e nacionalmente conhecido através dos casos de DNA no Programa do Ratinho.

Nosso diretor Carlos Rodrigues esteve com ele quando encontrou com o apresentador Ratinho e realizou um reencontro em seu programa.


Dr. Farhat era sempre muito atencioso. Na ocasião eles conversaram sobre como o desaparecimento de pessoas é juridicamente visto no Brasil.



Procuro a minha família


Emiliana Pereira Silva tenta ajudar a mãe na realização de um sonho: reencontrar o irmão JOSÉ LUIZ PEREIRA que hoje esta com 76 anos.


Ela conta que sua mãe cresceu juntamente com este irmão na cidade de Coromandel (MG), mas há cerca de 40 anos não sabe do seu paradeiro.


Pai reencontra filha depois de 15 anos por causa de multa de trânsito



O policial não encontrou nada no sistema da polícia, mas ficou intrigado com o nome diferente e resolveu buscar também na internet.

Você acredita no acaso? O Fantástico mostrou uma história surpreendente, que teve um final inesperado.

Início da história: um policial resolve parar um caminhão que tinha acabado de fazer uma ultrapassagem proibida na estrada.


Região de Campina Grande, Paraíba. O trecho da BR-230 é conhecido pelas ultrapassagens perigosas. “Estávamos atrás do caminhão dele quando ele fez a ultrapassagem nessa ladeira e mais à frente nós o abordamos”, lembra o policial rodoviário federal Gustavo Grisi.

Trabalhando na boleia do caminhão há 30 anos, Sidor Albrecht estava com pressa naquela quinta-feira, 04 de dezembro. O frete entre Marabá e Campina Grande estava quase terminando. Foram três dias de viagem, quase 1,8 mil quilômetros. E ele fez uma ultrapassagem proibida na faixa dupla. “Falei para o guarda: ‘Estou errado, pode multar, não tem problema não’”, afirma.

A multa foi aplicada na hora: R$ 957. E quando a notificação acontece assim, na estrada, os policiais precisam se comunicar por rádio com a base para fazer uma checagem dos documentos - tanto do motorista, quanto do veículo. Foi aí que as surpresas começaram.


O policial não encontrou nada no sistema da polícia, mas ficou intrigado com o nome diferente e resolveu buscar também na internet. “Quando eu fiz a procura, surgiram alguns resultados. Mas somente um chamou a minha atenção, que foi aquela mensagem que dizia: ‘Estou à procura do meu pai’”, conta o policial rodoviário Daniel Pereira.

Era uma mensagem publicada dois anos antes em um fórum de pessoas desaparecidas. “Quando eu vi a mensagem dela, também lembrei da minha história. Nos últimos 20 anos eu também estive à procura do meu pai, então eu sei o que aquela moça estava passando. Eu encontrei o meu pai esse ano”, diz Daniel.

A autora da mensagem é de Fortaleza. Vitória Albrecht, uma jovem de 17 anos, que foi mãe aos 15. Estava grávida quando escreveu e sentia falta do pai que não conhecia. “Já tinha até me esquecido que eu tinha botado. Pensava que era mentira quando ligaram”, conta.

A mensagem sensibilizou o policial. “O que a Vitória fez foi como escrever um bilhete, colocar em uma garrafa e lançar no mar. E a gente teve a sorte de encontrar essa garrafa”, conta Daniel.

Seu Sidor, que já tinha assinado a multa e sido liberado, foi chamado de volta.

Pelo rádio, ouviu a mensagem lida pela policial da base Soraya: “Gente, eu sou a Vitória, tenho 15 anos. Moro em Fortaleza, procuro o meu pai Sidor Albrecht. Ele é caminhoneiro, há anos eu venho tentando encontrá-lo”, dizia a voz no rádio.

Era a notícia da filha que ele não viu crescer porque ficou 15 anos sem contato.

No fim da década de 90, Sidor terminou o primeiro casamento, no estado do Mato Grosso. Nas viagens pelo Brasil, o caminhoneiro se envolveu com a mãe biológica de Vitória em Fortaleza. Ela nasceu, mas a relação não foi para frente. Sidor se casou de novo no Mato Grosso.

A mãe de Vitória deixou a bebê no Ceará com sua irmã, Socorro, e foi trabalhar em Santa Catarina. Maria Socorro Alexandre assumiu a criação de Vitória. “A mãe da Vitória de verdade sou eu. Eu criei ela”, se emociona.

Nessa 'troca de mães', o pai - que estava longe - foi perdendo contato com a filha. “Eu parei de viajar para o Nordeste. A última vez que eu vi ela foi quando ela tinha dois anos. Depois eu mudei de emprego, a empresa não viajava para cá e daí eu fui perdendo o contato”, lembra Sidor.

Dona Socorro e a família mudaram de casa, a comunicação ficou ainda mais difícil. “Ele ligava em um telefone comunitário aqui na outra rua e não chegava aqui o recado”, ressalta Socorro.

Mas na mensagem da internet, Vitória colocou seus números de telefone.

Depois de 15 anos, Sidor finalmente conseguiu ligar para a filha.

Sidor: A primeira instância que eu liguei, eu nem consegui falar.

Vitória: A pessoa não falou, ficou só escutando. Eu falei: ‘Vá para a casa do’ lá, eu peguei e desliguei.

Sidor: Eu liguei de novo, e ela: ‘Quem está falando?’. Eu disse: ‘Quem é a pessoa que você quer conhecer muito?’.

Vitória: Veio na mente: meu pai!

Sidor: Ela chorou muito, e eu também chorei junto com ela.
Vitória: Acho que ele já me ligou umas 300 vezes nesses dias. Ele não para. É de hora em hora.

Mas até aqui, o reencontro só tinha sido por telefone. Depois da primeira ligação, Sidor descarregou o caminhão em Campina Grande e foi para João Pessoa conseguir um novo frete: dessa vez para Fortaleza. “Para conhecer a minha filha”, conta Sidor. “Hoje eu estou muito feliz porque vou rever minha filha, eu sentia muita falta dela”, comemora.

Apenas um dia de estrada e ele chegou à cidade da filha, Vitória. Sidor fez uma caminhada bem rápida até a casa da filha, em um bairro da periferia de Fortaleza. A ansiedade foi muito grande. “Não vejo a hora de poder encontrar ela e dar um abraço”, conta.

Momentos antes do reencontro, Sidor não consegue segurar a emoção. Logo o avô conhece o netinho. “Agora o vô tem um netinho também”, brinca.

Sidor é grato a Dona Socorro, a mãe que não é biológica, mas criou Vitória com todo amor. “Você cuidou bem da minha filha”, diz Sidor.

“Daqui para frente quero que ele me dê bastante amor, que ele nunca mais separe de mim. Passou muito tempo longe. Só isso”, diz Vitória.



Desaparecido





JOSÉ ELIANO BARBOSA desapareceu no Jardim Fernandes em São Paulo (SP) em junho de 2013.

Seus familiares contam que ele teria saído para dar uma volta pelo bairro como era de costume e não retornou mais para casa.


Hoje ele está com 70 anos.

Produtor cultural desaparece em viagem entre SP e Rio


Produtor cultural Giuliano Ricca deixou SP em 19 de outubro e sumiu.
Família pede qualquer informação que possa levar ao paradeiro dele.


O irmão do ator Marco Ricca, o produtor cultural Giuliano Ricca, de 47 anos, está desaparecido desde 19 de outubro, segundo comunicado divulgado nesta quinta-feira (11) pela família. Ele deixou São Paulo de carro e desapareceu a caminho do Rio de Janeiro.
Marco e Giuliano são sócios em uma produtora em São Paulo que tem como projetos diversas peças de teatro, como "Uma Vida no Teatro", com os atores Francisco Cuoco e Ângelo Paes Leme, e "Adultérios", com o ator Fábio Assunção.

O desaparecimento aconteceu após Giuliano deixar a capital paulista em seu carro, uma CRV preta placa EMO 9888, pela Rodovia Presidente Dutra.

A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo confirmou que o caso está sendo investigado pela delegacia de desaparecidos do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Não foram divulgados, no entanto, detalhes da investigação.

No comunicado, o ator Marco Ricca, que atualmente interpreta Fernando na novela Boogie Oogie, da TV Globo, diz que o desaparecimento não foi divulgado antes "para não prejudicar o andamento das investigações e nem comprometer o sigilo das informações". Giuliano mora em São Paulo e viajava para o Rio quando sumiu por causa de compromissos profissionais.


Confira o comunicado do ator sobre o desaparecimento:

"Eu e minha família estamos passando por um momento muito difícil. Desde o dia 19 de outubro de 2014, meu irmão Giuliano Ricca, produtor cultural, desapareceu enquanto viajava em seu carro CRV Preta, placa EMO 9888, saindo de São Paulo para o Rio de Janeiro, pela Rodovia Presidente Dutra.

Durante todo este tempo contei com o apoio da Polícia Civil de São Paulo, que investiga o caso. A decisão de não divulgar o desaparecimento do Giuliano, até agora, mesmo com indagações por parte da imprensa, foi para não prejudicar o andamento das investigações e nem comprometer o sigilo das informações.

Porém, chegamos a um ponto em que qualquer dado sobre o paradeiro do meu irmão é fundamental para a conclusão do caso. A família agradece o trabalho incansável da Polícia Civil de São Paulo, a solidariedade dos inúmeros amigos e o apoio da imprensa na publicação da foto abaixo.

Para informações sobre o Giuliano, por favor, entrar em contato com Centro de Comunicações do DHPP - CECOP, através do telefone (11) 3311-3950 e através dos emails cecop.dhpp@policiacivil.sp.gov.br e sia.dhpp@policiacivil.sp.gov.br

Marco Ricca”



Cadela protege garoto de 3 anos


Criança desapareceu e foi acompanhada pela cachorra Pitucha em caminhada de mais de 2 km


Mesmo com fama de chata – pecha que ganhou por seguir os donos até mesmo dentro de supermercados e casas de vizinhos – a cachorrinha Pitucha acabou se tornando a mais nova heroína do bairro Canoas, em Ibirité, na região metropolitana. O animalzinho foi o protetor do pequeno Miguel Marques, 3, que fugiu de casa e desapareceu por mais de três horas, na tarde a última terça-feira. Além de acompanhar todo trajeto do menino, Pitucha ainda guiou o mecânico José Fagundes, 54, que encontrou a criança, de volta para casa.


Tudo começou com o descuido da irmã mais velha do garoto, de 16 anos, que tomava conta dele e, por distração, deixou a portão do imóvel aberto. Miguel então saiu andando pelas ruas do bairro. Somente a cadela vira-lata da família viu a cena, e começou a acompanhá-lo.

Foram mais de 2 km de andança até um bairro vizinho, o Água Azul, onde o garoto resolveu entrar em um veículo que estava aberto. Ele foi encontrado pelo proprietário do carro, o mecânico José Fagundes.


“Estava consertando um carro ao lado e deixei o meu aberto. Meia hora depois, estava com fome e resolvi ir comer quando alguém me perguntou se eu ia deixar aquele menino no carro. Eu virei e levei um susto ao ver aquela criança desconhecida ali”, contou Fagundes.

Do lado de fora do veículo, acompanhando tudo apreensiva e inquieta, estava Pitucha. “Como ninguém conhecia esse menino, e ele não sabe falar direito, eu olhei para aquela cadelinha e pensei: ‘o dono dela só pode ser essa criança. Eu vou tocar ela e seguí-la de carro. Quem sabe’. E deu certo. Ela foi correndo na frente do carro, guiando o trajeto. Foi um sobe e desce de morro, atravessando bairros, até que a cadela sentou em frente a casa desse menino”, disse.


Nesse momento, parentes do menino já haviam percebido sua ausência e procuravam o garoto. A mãe de Miguel, a auxiliar de serviços gerais Sueli Marques Gondim, 46, respirou aliviada quando ele reapareceu junto com o mecânico.

“Eu sai da minha casa às 4h30 e fui para o meu trabalho lá em Belo Horizonte. Era por volta das 14h, quando terminava meu horário de almoço, que minha filha me ligou e falou: ‘mãe o Miguel sumiu’. Foi um desespero só. Saí correndo do serviço, peguei o primeiro ônibus que pude. E cheguei quase no mesmo horário que meu filho reapareceu. Quase tive um enfarto. Ainda bem que ele caiu nas mãos de uma pessoa boa”.

Heroína. Passado o susto, o tratamento dado para a cadela Pitucha mudou completamente, e logo ela ficou famosa entre os vizinhos.

“Antes muita gente xingava ela, porque ela sempre foi de acompanhar muito as crianças. Aonde a gente vai, ela vai atrás. Em supermercado, casa de amigos. Então isso incomodava as pessoas. Só que agora, depois disso tudo, é só carinho de todo mundo”, contou Sueli.

Pitucha, inclusive, ganhou uma sessão com banho e outros tratamentos em um pet shop após o ocorrido. No entanto, a maior recompensa que ela terá será um carinho ainda maior dos seus donos. “Estamos com ela há 5 anos. Somos gente muito humilde, sem esquemas de segurança grandiosos, mas agora sabemos que ela está ali. O amor que temos com a Pitucha é aquele dos mais puros e sabemos que podemos contar com ela”, afirmou, emocionada, a mãe do garoto Miguel.

Ocorrência

Registro. A Polícia Militar chegou a ser chamada em função do desaparecimento mas, como não houve crime, não fez um boletim de ocorrência. Os militares somente registraram a história.


Procuro a minha família


Marli Barduina de Oliveira procura pelo irmão JOSÉ CARLOS DE OLIVEIRA que desapareceu em 1996 em Venda Nova, Belo Horizonte (MG).

Antes do desaparecimento ele estava depressivo devido ao falecimento de outro irmão.


Hoje ele está com 43 anos.


Procuro a minha família


A criança da foto se chama DIEGO ALVES LIGEIRO.

Aqui ele aparece com a idade de sete anos, a mesma que estava quando foi levado para Minas Gerais pela mãe Maria Madalena Alves após o pai João Euclides Ligeiro falecer em 2002 na cidade de Marília (SP).

Quem sonha em reencontrá-lo é sua irmã paterna Simone Cristina Ligeiro.


Hoje DIEGO está com 19 anos.

Desaparecimento de idosos está ligado à doenças, diz polícia em MS


Estatísticas já resultam em cerca de 750 desaparecimentos.
Investigadora ressalta que registro policial pode ser feito no mesmo dia.

Em 2014, conforme estatísticas da Polícia Civil, cerca de 750 casos de desaparecimento de foram registrados em Mato Grosso do Sul. A maioria dos casos se refere a crianças e adolescentes. Mas o sumiço de idosos também é comum e geralmente está relacionado a algum problema de saúde.



Braz Pereira, de 69 anos, está desaparecido desde março deste ano, por exemplo. Ele tem problemas mentais e a família apela por ajuda com a distribuição de cartazes e o envolvimento da polícia no caso.

“A foto no cartaz é uma das poucas lembranças que eu tenho dele. Braz saiu de casa por volta das 19h do dia 29 de março e não voltou mais. Eu registrei uma ocorrência no dia 4 de abril deste ano e ressaltei que ele tem esquizofrenia. Deveria, inclusive, tomar remédios controlados, mas decidiu por conta própria parar de fazer o tratamento e agora vizinhos disseram que já o viram andando nas ruas da cidade”, afirma a irmã da vítima, Alda Pereira.

Como medida de prevenção, a geriatra Natália Della diz que a doença de Alzheimer é mais frequente em idosos desaparecidos. “Em alguns casos o quadro de desorientação pode ser provocado por remédios, por isso é bom ficar atendo ao comportamento do idoso. A orientação é não deixá-los sozinhos”, explica a médica.

Sem tanta espera

Já a polícia ressalta que não é necessário esperar 24h para denunciar o desaparecimento. “É errado este pensamento que diz que tem que esperar este período. O familiar pode sim registrar a ocorrência, nem que seja para quinze minutos depois ligar e dizer que já o localizou. Temos que fazer o nosso papel de polícia e servir a população. Estamos próximos a fronteiras secas e um dia de espera é muito tempo, correndo o risco de perdermos estas pessoas”, finaliza a investigadora Maria Campos.


Desaparecido

Ana Alice da Silva Araújo procura pelo irmão JOSÉ ABEL DA SILVA ARAÚJO de 42 anos.

Em outubro do ano passado ele fazia uma viagem de Campinas (SP) com destino a Timbaúba no Pernambuco. Em uma parada na cidade de Maruim no Sergipe, onde a permanência é de mais tempo para que haja a troca de motorista, ele saiu desorientado e desapareceu. Com os depoimentos dos passageiros que presenciaram tudo o ônibus pode seguir viagem e ele nunca mais foi visto.


A família esteve em Maruim (SE) e também em outras cidades pela região. Colaram inúmeros cartazes e conseguiram divulgar em algumas emissoras de rádio e televisão, mas nenhuma informação concreta chegou sobre seu paradeiro.

Desaparecido





JONAS ALVES DA SILVA desapareceu em 1991 na cidade de Dores do Indaiá (MG).

Hoje ele está com 46 anos.

Desaparecido


Alzira Canella de Moura é mais uma mãe que vive à procura de seu passado há mais de 10 anos.

Moradora de Londrina no Paraná, ela está há onze anos em busca de informações que a levem a seu filho, GLAUCO LUCIANO DE MOURA que está hoje com 48 anos.

Ele saiu de casa sem motivo aparente em abril de 2003. Até hoje, a única pista que Alzira recebeu veio de uma mulher que afirmou ter visto Glauco em Apucarana (PR).


“Essa moça disse que falou com ele na Praça Mauá, perto da estação de trem de Apucarana. Pela descrição dela, acredito que era o Glauco mesmo”, afirma Alzira. Após essa informação, a família fez inúmeras viagens para Apucarana, na esperança de encontrar o filho desaparecido. No entanto, nenhuma outra pista foi recebida.


Procuro a minha família



Wanderlea Mendes das Neves procura pelo pai JOAQUIM MENDES DAS NEVES.

Ela conta que em 1973 sua mãe separou dele e dificultou o acesso dele a ela.

Seu pai tentou muitas vezes visitá-la. Depois não apareceu mais e pode ter voltado para sua cidade natal que é Santa Maria da Vitoria (BA).

Criança desaparecida é encontrada atrás de parede falsa


Menino de 13 anos estava desaparecido desde 2010


O menino de 13 anos, que foi dado como desaparecido há quatro anos, foi encontrado vivo, escondido atrás de uma parede falsa de uma casa perto de Atlanta, nos EUA. Ele se reuniu a sua mãe na manhã deste sábado. As informações são da Reuters.

Segundo o sargento Kevin Hughes, da polícia do condado de Clayton, cinco pessoas que viviam na casa foram detidas. Entre elas, o pai do menino, Gregory Jean, 37 anos, e Samantha Joy Davis, que não é a mãe da criança. O casal enfrenta acusações de cárcere privado e crueldade contra crianças.

De acordo com as investigações, em 2010, a mãe do menino informou o pai que a criança tinha desaparecido e ele disse-lhe que estava tratando o caso com a polícia, mas isso não foi feito.

Neste sábado, o adolescente conseguiu realizar um telefonema e ligou para sua mãe, anunciando onde estava. Só então, a polícia foi avisada do caso e procurou o garoto na casa do pai.

"Eles descobriram a criança escondida atrás de uma parede falsa, no interior da casa", disse o sargento. O menino estava saudável e se reencontrou com a sua mãe.


Procuro a minha família



Adnilma de Souza Coelho procura pelo tio JOÃO DE SOUZA COELHO que saiu da cidade de Casa Nova na Bahia em 1960 e teria ido para São Paulo (SP) a procura de trabalho.

Cinco anos depois ele mandou uma carta para a família dando notícias de que estava no Mato Grosso.

Hoje ele está com 77 anos.


Procuro a minha família


Rosangela Aparecida Manzan procura pela avó HONORIA BONONI MANZAN que está hoje com 92 anos.

Em 1964 ela se mudou do local onde morava na zona rural de Atalaia (PR) e não deu mais notícias.


A única foto que ela tem da avó é esta do casamento dela com o marido Angelo Manzan que já faleceu.


Procuro a minha família


Ana Maria Martins de Oliveira procura pelos avôs paternos ANTONIO MARTINS DE OLIVEIRA e ANA SAGAS DE CRISTO que estariam morando em Lagoa Santa ou Jaboticatubas, cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Seu pai é este que aparece nestas duas fotografias. Ele se chamava Geraldo Martins de Oliveira, mas faleceu em 1995.


Ela conta que o pai sempre sonhou rever a família que ficou em Minas Gerais, mas que não possuía condições de ir procurá-los.



Procuro a minha família


Clezia de Souza procura pelo tio FERNANDO ANTÔNIO DE SOUZA que em 1977 saiu da cidade de Afogados da Ingazeira na microrregião de Pajeú, no Pernambuco, para trabalhar no Iraque em uma empresa brasileira de construção civil.


FERNANDO está hoje com 62 anos.


Desaparecido


ELIEL WASHINGTOM GOMES DA SILVA desapareceu em São Paulo (SP) em março de 2009.


Ele foi visto pela última vez na Praça da Sé, região central da cidade. Hoje ele tem 32 anos.


Desaparecido


Josiane Bernardes procura pelo pai ANTONIO SILVESTRE DA SILVA que desapareceu em Poços de Caldas (MG) em 1994. Hoje ele está com 66 anos.


Procuro a minha família




Jorge Neres do Nascimento procura pelo irmão ISMAEL NERES DO NASCIMENTO que há 20 anos saiu de Ilhéus na Bahia e teria ido para São Paulo (SP) em busca de trabalho e não fez mais contato com sua família.


ISMAEL está hoje com cerca de 40 anos.


Desaparecida




MARIA RIBEIRO DA SILVA tem 60 anos e faz uso de remédios controlados.

Ela desapareceu em fevereiro do ano passado da casa de uma família que cuidava dela há 15 anos no bairro do Butantã na cidade de São Paulo (SP).


Procuro a minha família




Rita Lopes Ramos procura pela irmã DAMIANA LOPES FERNANDES que em 1975 saiu da cidade de Cianorte (PR) e não fez mais contato.

A única foto que ela tem da irmã é esta do casamento dela.

DAMIANA hoje tem cerca de 75 anos e pode estar morando no Estado de São Paulo.

Desaparecido


Zélia Lourenço Silva procura pelo irmão CÍCERO LOURENÇO DE SOUZA que está hoje com 50 anos.

Ele faz uso de remédios controlados e desapareceu em 1987 em Maceió (AL).


Desaparecido


AURÉLIO VINICIUS SANTOS MASCARENHAS desapareceu em Santo Hipólito (MG) em 2012.

A família conta que ele apresentava fortes sinais de depressão. Depois passou a beber e por isso tinha muitos conflitos com os familiares. Teria ficado assim após o falecimento do pai que aconteceu um mês antes do seu desaparecimento.

Ele possui um caroço no cotovelo esquerdo e está hoje com 42 anos.


Ela foi a inspiração para criação da nossa entidade


Hoje completa dois anos do falecimento de Penha da Conceição, ou “dona Penha” como gostava de ser chamada. Ela foi a inspiração para que seu neto e nosso diretor Carlos Rodrigues criasse a ONG Gente Buscando Gente em 2007. De lá pra cá a iniciativa já localizou quase três mil pessoas Brasil afora.

“Dona Penha” passou mais de 60 anos procurando pela filha biológica Idalina Pereira que devido às baixas condições financeiras da família na época, teve que ser entregue à adoção.

No link da série especial do Jornal Estado de Minas, “Mineiros de Ouro”, você vai poder conhecer mais desta história de perseverança.





Mapa do Quadro Desaparecidos no Brasil


"Quadro Desaparecidos" é um formato de exibição de fotos e cartazes de pessoas desaparecidas na TV onde um repórter entrevista os familiares em algum ponto fixo da cidade.

Quase sempre acontece ao vivo nos telejornais regionais que vão ao ar no horário do almoço. Em 2013 apenas seis emissoras realizavam o quadro.

A boa notícia é que neste ano o número subiu para oito. Em cada um destes estados o objetivo é o mesmo, levar esperança aos familiares que sofrem com a angustiante procura.


Clique no mapa e saiba os estados onde há emissoras de televisão que realizam o quadro.


Filme Plano Nacional -Tráfico Humano


O filme Plano Nacional, (sem data definida de lançamento) abordará a questão do Tráfico Humano, tão intimamente relacionado à questão do desaparecimento.


Para enriquecer o trabalho, a produtora Em Cena Filmes pede fotos de pessoas desaparecidas.

Assim, familiares interessados podem enviar até a data de 18/11, fotos com autorização e formato específico para Thaymara Rafaellen (thaymarabarbosalima@gmail.com).

Filme: Plano Nacional, abordagem do Tráfico de Pessoas
Produtora: Em Cena Filmes (Natal-RN)
Diretores: Daniel Rizzi e Txiago Emanoel
Ano: 2014

1. Termo de autorização de imagem: http://bit.ly/Termodeautorizaçãodeimagem (imprimir, preencher, assinar e enviar digitalizada para o e-mail)

2. Modelo da foto: http://bit.ly/ModeloFoto
Importante!!!

A inserção das fotos no filme é de responsabilidade ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE da PRODUTORA.

NÃO serão aceitas fotos sem autorização devidamente assinada ou INCOMPLETAS DE INFORMAÇÕES.

Enviar foto com resolução alta.

Na foto a ser enviada, colocar SOMENTE NOME, DATA DO DESAPARECIMENTO, CIDADE DO DESAPARECIMENTO e NÚMERO DO BOLETIM DE OCORRÊNCIA

NÃO INFORMAR TELEFONES na foto. Será colocado no final da apresentação telefones para contato.


Enviar foto para Thaymara Rafaellen (thaymarabarbosalima@gmail.com), até o dia 18/11.

QUADRO DESAPARECIDOS

Uma das mais importantes ferramentas para ajudar a encontrar desaparecidos



No final do ano passado nós pesquisamos os estados brasileiros onde emissoras de televisão realizavam o “Quadro Desaparecidos”, um formato de exibição de fotos e cartazes de pessoas desaparecidas na TV onde um repórter entrevista os familiares em algum ponto fixo da cidade e dão a estes a oportunidade de contar as circunstancias do desaparecimento.

Quase sempre acontece ao vivo nos telejornais regionais que vão ao ar no horário do almoço. Em 2013 apenas seis emissoras realizavam o quadro.

A boa notícia é que neste ano o número subiu para oito. Em cada um destes estados o objetivo é o mesmo, levar esperança aos familiares que sofrem com a angústia do desaparecimento.

Saiba em quais estados há o “Quadro Desaparecidos".


BAHIA

Na Bahia o “Quadro Desaparecidos” é realizado pela TV Bahia, afiliada da Rede Globo no BATV 1ª Edição. O ponto de encontro com as famílias é na Praça da Piedade, no centro de Salvador. De lá elas participam ao vivo toda quarta-feira.

Mais informações: http://g1.globo.com/bahia



A TV Aratu, afiliada do SBT também realiza uma versão do “Quadro Desaparecidos”. Toda quarta-feira no Programa Que Venha o Povo são exibidos apelos gravados. O quadro estreou em 2008.





CEARÁ

No Ceará o “Quadro Desaparecidos" é realizado pela TV Verdes Mares, afiliada à Rede Globo. Familiares e amigos de desaparecidos se encontram na Cidade das Crianças, no centro de Fortaleza. Acontece a cada 15 dias no CETV 1ª edição. Nas duas primeiras edições do quadro, seis pessoas foram encontradas depois da divulgação de parentes durante o telejornal.






GOIÁS

É realizado pela TV Serra Dourada, afiliada ao SBT. Acontece toda terça-feira. Mostra o apelo de pessoas que perderam contato com a família, focado no reencontro de pai, mãe e irmãos.





ESPÍRITO SANTO

O “Quadro Desaparecidos” é realizado em Vitória pela TV Gazeta, afiliada à Rede Globo. Estreou em abril deste ano e tem sido a principal aposta no Estado para localizar desaparecidos. O encontro com as famílias é na Praça Costa Pereira no centro de Vitória. Acontece a cada 15 dias.





MINAS GERAIS

Em Minas o quadro é realizado pela TV Integração, afiliada à Rede Globo na região de Juiz de Fora, na Zona da Mata. Lá ele recebe o nome de “Quadro Reencontro”, mas tem o mesmo formato do tradicional “Quadro Desaparecidos”.

Os familiares que querem contar com a divulgação de parentes desaparecidos durante o MGTV 1ª edição devem enviar e-mail para a emissora ou ir até a sede, localizada na Rua Ewbank da Câmara, número 46, Bairro Mariano Procópio.

Uma equipe de jornalismo realiza uma visita na casa da pessoa para conhecer e gravar a história de busca.

O e-mail para solicitar a participação é o (reencontro@tvintegracao.com.br).






A região Leste de Minas Gerais também já teve sua versão do "Quadro Desaparecidos". Foi realizado durante o ano de 2013 pela TV Leste, afiliada da Rede Record em parceria com a ONG Gente Buscando Gente. Sua última transmissão foi em janeiro de 2014 quando foi extinto da programação.

O encontro com as famílias era toda quinta-feira na Praça Getúlio Vargas no Bairro de Lourdes em Governador Valadares. Lá uma equipe de jornalismo da emissora entrevistava os familiares ao vivo para o Programa Balanço Geral.

Na praça os voluntários da entidade cadastravam as histórias para acompanhamento posterior. Através da parceria aconteceram localizações em vários estados. Os reencontros eram feitos em parceria com outras afiliadas da Record que geravam as imagens para que a TV Leste exibisse na região Leste do Estado.






PARÁ

No Pará o “Quadro Desaparecidos” é realizado pela TV Liberal, afiliada da Rede Globo no Jornal Liberal 1ª Edição. O encontro com as famílias é toda terça-feira na Praça da República em Belém.

Mais informações: http://g1.globo.com/pa/para/





SANTA CATARINA

Em Santa Catarina é realizado pela RBS TV, afiliada da Rede Globo. O Jornal do Almoço estreou o “Quadro Desaparecidos” em agosto de 2012. Desde então é exibido nas terças-feiras direto do centro de Florianópolis, no Largo da Alfândega onde a repórter Graziane Ubiali se reúne com as famílias, que buscam ajuda para solucionar os casos.

Já no primeiro ano de exibição 22 pessoas foram localizadas.






SERGIPE

No Sergipe é realizado pela TV Sergipe, afiliada da Rede Globo. Acontece toda segunda terça-feira de cada mês no setor de artesanato no mercado central de Aracajú. A emissora realiza o quadro desde abril de 2008.


Mais informações: http://g1.globo.com/se/sergipe/